RSS

Compreendendo o consumidor: as estratégias do mercado publicitário

02 mar

Trajetória da pesquisa sobre o consumidor e emergência do qualitativo – no ambiente das agências de publicidade, o planejamento, criação e veiculação de mensagens persuasivas são desenvolvidos através de diferentes metodologias, considerando dados sobre seu cliente (o anunciante), seu público (o consumidor) e os meios de comunicação. Estes métodos multiplicaram-se, acompanhando a proliferação das agências nacionais e estrangeiras e atualmente no mercado publicitário brasileiro, o termo “pesquisa” remete geralmente a três tipos de investigação, de acordo com Rafael Sampaio: de mercado, que levanta informações sobre o produto em si, os consumidores, a concorrência e outros aspectos semelhantes; de comunicação, que estuda atitudes do consumidor relativas à comunicação, seu efeito sobre ele e alternativas mais interessantes a serem seguidas; e de mídia, que dimensiona (através de pesquisa de audiência e de hábitos de consumo) o potencial de alcance de cada veículo e traça seu perfil de audiência, incluindo a definição do padrão (ou padrões) de seus leitores, ouvintes e telespectadores (SAMPAIO, 1997, p.69). Estes tipos de pesquisas foram construídos desde a década de 50, a partir de propostas teórico-metodológicas desenvolvidas em instituições de ensino e pesquisa, na sua maioria estrangeiras. Nos primórdios da pesquisa em comunicação brasileira, período coincidente com a consolidação das primeiras agências publicitárias, um modelo comunicativo estático e focado no emissor imperava em ambos os contextos. Trata-se do modelo norte-americano de análise funcionalista da comunicação, cuja introdução no Brasil se deu entre outros fatores, segundo Mauro Souza (1995, p.17), graças à “expansão das agências norte-americanas de publicidade e dos institutos de pesquisa e de opinião pública”.

 

Para o publicitário, “consumidor na verdade é o cara que compra, o cara que influencia, o cara que forma opinião. Tudo isso é um pouco de consumidor. A gente pensa em tudo isso, tem as pessoas que ditam as tendências, ou sites que ditam o que vai rolar…”. DP afirma ainda que, “tudo isso, não é só o ato de comprar, começa muito antes, desde o desinteresse do consumidor pelo produto, até a pre-compra, e esse ciclo todo a gente fica mapeando continuamente”. Os publicitários contam, segundo DP, com uma “Central de Informações [que] constrói “reports” [relatórios] sobre segmentos de público através de pesquisa secundária em revistas, nos jornais e na internet, em sites especializados como sites e blogues. Apesar de serem fontes secundárias, são confiáveis e ricas, alimentam a agência com informações sobre o consumidor e o mercado do anunciante. Planejador é profissional multi-tarefas, multidisciplinar. Tem que ler essas coisas e também livros de antropologia, sociologia”. Ao contextualizar a pesquisa no mercado publicitário, DP revela que os dados quantitativos da pesquisa de mídia são complementados por informações provenientes de fontes secundárias especializadas (livros de antropologia) e até pagas (Informa Brasil), mas também por outras do senso comum (como revistas e blogues), que até podem ser consideradas banais. Essa atitude revela a situação de complementaridade entre o saber especializado e o saber do senso comum nesta agência de publicidade, o que remete ao pensamento acadêmico de Maffesoli (1998b, p.161) sobre a emergência deste último como “uma maneira de ser e de pensar” que precisa ser incorporada à pesquisa compreensiva.

 

Maiores informações: Trabalho apresentado ao Núcleo de Pesquisa Publicidade e Propaganda do VI Encontro dos Núcleos de Pesquisa da Intercom. Elisa Reinhardt Piedras, Professora da Escola de Comunicação Social da Universidade Católica de Pelotas. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Mestre em Comunicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul 2005, bolsista da CAPES. Graduada em Comunicação Social/Publicidade e Propaganda, pela Universidade Católica de Pelotas, 2002, bolsista do CNPq. Graduada em Artes Visuais/Design Gráfico, pela Universidade Federal de Pelotas, 2003. Bolsista da AECI para Intercâmbio na Universidad de Extremadura / Espanha, 2002.

Anúncios
 
Comentários desativados em Compreendendo o consumidor: as estratégias do mercado publicitário

Publicado por em 02/03/2009 em Uncategorized

 

Tags: , ,

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: