RSS

“Será difícil replicar os efeitos da campanha de Obama”

08 out

Ex-consultor político de dezenas de candidatos democratas na área de estratégia, o reitor da Escola de Gerenciamento Político da George Washington University, Christopher Arterton, trará ao Brasil os principais estrategistas da campanha do americano Barack Obama nos dias 15 e 16 deste mês.

A seguir leia a síntese: Diário Catarinense – Qual é o cuidado que um político tem de tomar ao se aventurar no marketing político pela internet? Christopher Arterton – Marketing efetivo pela internet requer uma forma de pensar diferente por parte do comunicador. Você não pode pensar em um formato de cima para baixo ou padronizado. Pelo contrário, os comunicadores deveriam estar dispostos a iniciar uma conversa em que muita gente vai participar e na qual você pode influenciar, mas não controlar. DC – Qual é o segredo de quem conseguiu ser bem-sucedido atuando em campanhas virtuais? Arterton – É preciso ser inovador e criativo para capturar os interesses da audiência. Ainda que seja possível executar as ideias por meio de qualquer ferramenta de internet, como e-mail, sites, vídeos no YouTube, Twitter e Facebook, podem ser necessárias várias tentativas para criar a comunidade que você busca. Geralmente, são necessárias algumas tentativas para se alcançar o sucesso. DC – Quem são os políticos que melhor se adaptaram aos novos tempos? Arterton – Durante a campanha presidencial americana de 2008, muitos dos candidatos solicitaram que seus eleitores criassem propagandas a partir de imagens disponíveis em seus sites. Os eleitores disputavam entre si para ter os melhores vídeos. Hillary Clinton, inclusive, permitiu que seus eleitores escolhessem o jingle oficial de sua campanha pela web. Os candidatos buscaram engajar seus eleitores sem controle da comunicação, fazendo com que eles se envolvessem na campanha se divertindo. O objetivo dos candidatos era conciliar votos com a cobertura na mídia, para mostrar o quanto suas campanhas eram inovadoras. DC – Qual seria a melhor estratégia política para a internet no Brasil? Arterton – Primeiro é preciso analisar o cenário, a penetração da web, para depois pensar a melhor maneira de atrair os internautas. O que funcionou nos Estados Unidos não necessariamente funcionará no Brasil, porque cada população tem suas peculiaridades. Não tenho condições de dizer qual seria a melhor estratégia política na internet sem uma rigorosa pesquisa de mercado. DC – É possível se fazer no Brasil uma campanha semelhante a que Barack Obama fez nos Estados Unidos? Arterton – A campanha de Obama foi uma espécie de cruzada dos cidadãos americanos. Ao mesmo tempo, eles (a equipe de Obama) foram muito inteligentes ao se darem conta de como usar a internet para mobilizar, estimular e dar coerência àquele movimento em crescimento. No entanto, foi um fenômeno incomum, senão único. Será difícil algum político conseguir replicar os mesmos efeitos da campanha de Obama. Quem é Arterton > Ex-professor das universidades de Yale e Harvard. > Atual reitor da Escola de Gerenciamento Político da George Washington University. > Tem quatro livros publicados sobre estratégias políticas nos EUA. > É um dos especialistas mais consultados pela imprensa americana sobre campanhas eleitorais. marciele.brum@zerohora.com.br MARCIELE BRUMMultimídiaEspecialista americano em política defende criatividade e inovação na internetanteriorlista | imprimir | enviar | letra A – | A +próxima

Anúncios
 
Comentários desativados em “Será difícil replicar os efeitos da campanha de Obama”

Publicado por em 08/10/2009 em Uncategorized

 

Tags:

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: