RSS

estudo mostra que propaganda eleitoral em excesso pode resultar em derrota

05 jan

Lula e o PT estão montando uma das maiores coalizões da história eleitoral recente para que Dilma Rousseff tenha até 70% de todo o tempo da propaganda eleitoral em rádio e TV na disputa presidencial de 2010. A estratégia parece estar certa, mas uma pesquisa realizada por 2 consultores legislativos do Senado mostra que o ideal é buscar um equilíbrio –tempo demais pode atrapalhar numa campanha eleitoral.

O estudo –conduzido pelo economista C. Alexandre Rocha e pelo sociólogo Eurico Antônio dos Santos– analisa em detalhes a relação entre o tempo de exposição no horário eleitoral gratuito e a vitória (ou derrota) nas eleições.

De acordo com o estudo, quanto mais tempo na TV, maior é a chance de vitória do candidato. Até aí, sem novidades. Mas há um limite. No caso dos candidatos a governador, há um ponto a partir do qual o tempo de TV deixa de acrescentar votos e passa a prejudicar o político. Nesse ponto –que os pesquisadores chamam de “saturação da imagem”–, o excesso de exposição do candidato passa a produzir rejeição no eleitorado.

O estudo trabalhou dados da eleição de 2002. Foram analisados o tempo de exposição e o desempenho eleitoral de 199 candidatos a governador e 275 ao Senado.

No caso de governadores, como mostra o gráfico a seguir, há uma faixa “ótima” relacionando tempo de TV e vitória na urna: de 376 a 465 segundos diários de exposição há 75% de sucesso no dia da eleição. Mas entre os políticos que concorreram a governos estaduais e desfrutaram de 466 a 555 segundos só 50% conseguem ser vitoriosos. Eis o gráfico:

Já no caso do Senado, o estudo constatou que a maior taxa de vitória ficou com os candidatos que tiveram exposição na TV em duas faixas: de 126 a 165 segundos diários e de 206 a 245 segundos diários. Curiosamente, na faixa intermediária (de 166 a 205 segundos), menos políticos foram vitoriosos.

Fica também evidente o senso comum a respeito de que pouco tempo de TV significa derrota quase certa. Na faixa de candidatos a governador com menor tempo de exposição (de 10 a 105 segundos diários) –que compreende 123 dos 199 políticos analisados– apenas 4,1% se elegeram. O mesmo acontece com os candidatos ao Senado: só 3,8% dos 156 candidatos com o menor tempo de TV (de 5 a 45 segundos diários) se elegeram.

Por Uol/ Blog do Fernando Rodrigues

Anúncios
 
Comentários desativados em estudo mostra que propaganda eleitoral em excesso pode resultar em derrota

Publicado por em 05/01/2010 em Uncategorized

 

Tags: , ,

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: