RSS

É precipitado fazer análises supostamente definitivas sobre uma eleição que ainda não está entre as preocupações de mais de dois terços do eleitorado.

07 abr

É precipitado fazer análises supostamente definitivas sobre uma eleição que ainda não está entre as preocupações de mais de dois terços do eleitorado. Mais arriscado ainda é tentar prever o seu resultado. Mas, em se tratando de pesquisas eleitorais, essas são duas tentações às quais políticos, jornalistas, eleitores e até mesmo diretores de institutos de pesquisa sucumbem com frequência. É compreensível, porém.

Para uma grande parte das pessoas, a eleição envolve paixão, torcida, comprometimento com um dos lados. E, para algumas poucas, uma fonte de renda. Quando as emoções estão envolvidas, é difícil raciocinar friamente sobre os fatos. Uma mesma curva num gráfico pode significar uma coisa para um serrista e o oposto para um dilmista.

Além disso, uma das funções básicas do nosso cérebro é tentar antecipar riscos para aumentar nossa chance de sobrevivência. Tentar prever quem vai ganhar uma eleição pode ser visto como um desvio moderno dessa função.

Assim, talvez o melhor seja apresentar o maior número possível de cenários e deixar ao leitor escolher o que mais lhe convém. Seguem, abaixo, vários tipos de gráficos sobre a eleição presidencial. Embora expressem o mesmo fenômeno, suas feições não são idênticas. Escolha o seu.

Escolha o seu.

Screen shot 2010-04-06 at 15.17.35

Screen shot 2010-04-06 at 15.18.03

Acima, os gráficos com os resultados, isolados, de cada instituto. Repare que os períodos pesquisados variam de instituto para instituto (as datas indicam o último dia de campo de cada pesquisa). Abaixo, dois gráficos que consolidam os resultados dos quatro institutos, de maneiras diferentes. Por fim, o gráfico das médias móveis das três pesquisas divulgadas mais recentemente. 

Screen shot 2010-04-06 at 16.29.23 

Screen shot 2010-04-03 at 22.28.58 

clique na imagem para ampliar clique na imagem para ampliar Por OESP/José Roberto Toledo

Anúncios
 
Comentários desativados em É precipitado fazer análises supostamente definitivas sobre uma eleição que ainda não está entre as preocupações de mais de dois terços do eleitorado.

Publicado por em 07/04/2010 em Uncategorized

 

Tags:

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: